domingo, novembro 16

2º Livro Preguiçoso

O Livro do Nascimento (do Preguiçoso Supremo)

Pregui e Çoso conheceram-se. Pregui, uma mulher bonita, inteligente e com pouca vontade de trabalhar, e Çoso um homem bem parecido, mais inteligente que Pregui, mas ainda com menos vontade de trabalhar. Eram perfeitos um para o outro. Apaixonaram-se, mas o casamento dava muito trabalho. Passaram simplesmente a viver juntos. Tratar da casa dava muito trabalho. Precisavam de ajuda. Decidiram ter um filho. Para Pregui, ter um pelos processos naturais dava muito trabalho. Para Çoso adoptar um dava ainda mais trabalho. Mas eles precisavam de ajuda. Embora desse muito trabalho, eles estavam quase a desesperar.

Foi então que ele apareceu. Um filho, homem já formado. Simplesmente apareceu. Não estava ali, depois já estava. Pregui e Çoso ficaram moderadamente felizes, pois ficar completamente felizes, dava muito trabalho. Queriam dar-lhe um nome, mas arranjar um do nada dava muito trabalho, por isso juntaram os seus, e chamaram-lhe Preguiçoso. Assim que apareceu, sentou-se.

'Não dizes nada?' Perguntou Pregui. 'Sim, apareces do nada, já um homem formado, e limitas-te a sentar-te?' Perguntou Çoso. 'Pois claro, falar e estar em pé dá muito trabalho!' Respondeu Preguiçoso. Pregui e Çoso, espantados com esta resposta, ficaram aflitos, pois queriam um filho para os ajudar, e ele ainda era pior do que eles, arrependendo-se depois, pois ficar aflito dava muito trabalho.

Pregui e Çoso, tudo tentaram, (desde que não desse muito trabalho), para fazer com que Preguiçoso arranjasse um emprego e os ajudasse com a casa, mas talvez por Preguiçoso ainda ser pior que eles, ou pelos seus fracos esforços (esforços a sério davam muito trabalho), nada conseguiram. A primeira vez que Preguiçoso se levantou, foi para se ir sentar no sofá, pois o chão era extremamente desconfortável, terminando assim a 1ª Era, a Era do Chão, e dando inicio à 2ª Era, a Era do Sofá. Assim que encontrou a posição mais confortável no sofá, entregou-se a intermináveis horas de visualização de televisão. O seu único movimento durante largos anos, foi o polegar a mudar os canais, e a mexer no volume. Ao décimo oitavo ano da sua existência, décimo sexto da Era do Sofá, teve uma revelação, dando-se assim inicio à Era do Lusco-Fusco. Atingir a Luz dava muito trabalho, por isso ficou-se pelo Lusco-Fusco.

Essa revelação, foi a existência de uma certa maneira de ser em que nada se fazia, e tudo dava muito trabalho. Chamou a isso Preguiça. Auto-intitulou-se o Preguiçoso Supremo, e começou a reunir seguidores.

Estava criada a Preguiça.

4 comentários:

miguel disse...

eu sei k isto vai parecer 1 bocado po larilas, mas...eu adr esse homem!!!
Agora tens e de escrever 1 post mais pekeno pq da mt trabalho pa o ler a tovo!!! xD

PREGUIÇOSO 4EVER

Roanytah disse...

Pois larilas e tal.....pk k sera tu bem tentas disfarçar mas uma parte de ti...assume isso automaticamente...nao e por nd k eu ja o descobri a muito mais tempo nao e Garu...(assobio)...ruy ainda n li tudo da mt trabalho xD mas daki a um bocado leio!

miguel disse...

essa foi mt porca...
tmb vindo de uma...(cena no dedo na bochecha, e barulho de peido)

Anónimo disse...

Badalhoco isso n se fax O.o