sábado, outubro 3

A minha pátria é a Língua Portuguesa

Texto que escrevi para o meu teste de diagnóstico de Português:

A minha pátria é a Língua Portuguesa, uma língua cujos expoentes máximos são: um zarolho, vários homenzinhos extremamente deprimidos, e, actualmente, um indivíduo que deve vários anos à cova, e que já se esqueceu das noções básicas da pontuação.

Mas, no entanto, mesmo com todos estes... vá, "génios", a minha pátria é constantemente mutilada. Até se costuma dizer que "o Camões deve estar às voltas no túmulo", se bem, que, já deveria ser qualquer coisa mais deste género: "O Camões deve estar a pontapear e a soquear o seu túmulo, numa irascível fúria demolidora, a pensar se usa uma G3, ou algumas toneladas de explosivos, naqueles que mutilam a Língua Portuguesa".

Sim, acho que sim já estava mais de acordo com os dias de hoje. Isto, porque num país onde praticamente todos (desde alunos, a políticos!), dão erros gravíssimos, não há outra hipótese.

Claro que também há quem escreva, e fale, como deve ser, mas é uma percentagem tão mínima, que os estatísticos até a devem desprezar.

Como é fácil de ver, esta situação não abona nada a favor da minha pátria. Se a Língua Portuguesa fosse uma pessoa, seria o maior cromo possível, assim uma espécie de rapaz franzino e fraquinho, daqueles completamente espancados pelos rufias.

Milhões e milhões de rufias, neste caso.

9 comentários:

jamaican scary guy disse...

xiii agora ficaste todo convencido xD

Rui Bastos disse...

Qué que foi? É giro xD

Arisu disse...

Só por curiosidade, que nota tiveste?

Rui Bastos disse...

Vá, uma nota boazinha, digamos...

M. à conversa disse...

Uma nota boazinha? Um gordinho MUITO BOM.
AHAHAHHAHAH adoro este texto xD
um zarolho? vários homenzinhos extremamente deprimidos?! Sê bonzinho Rui, sê bonzinho :D

Rui Bastos disse...

Isso não era para dizer xD

M. à conversa disse...

o quê a nota? ups =| Quem falou em Muito Bom? Nãoooo, Um muito Mau, um muito mau, foi.

Rui Bastos disse...

Ora vês como aprendes depressa xD

M. à conversa disse...

pensava que era por ter pronunciado a palavra bonzinho lálálá