terça-feira, dezembro 16

Carta ao Pai Natal

Estamos quase no Natal! Receber prendinhas, almoçarada e jantarada de Natal, mais umas prendinhas, comer mais um bocadinho e tal... Mas agora uma coisa... as prendas... como é que toda a gente sabe sempre aquilo que nós queremos, e nunca nos dão aquilo que nós queremos? É estranho, muito estranho... 

'- Ah queres um livro? Muito bem, muito bem, toma lá umas meias!!'

Coisas deste género estão seeeeeeeeeempre a acontecer. Mas sempre! E ainda por cima sendo rapaz, começam com coisas: 'já és um homem, toma lá um aftershave!' E acabo o Natal com quatro aftershaves, três pares de meias, um par de cuecas, e meia dúzia de desodorizantes. Isto há ali uma mensagem subentendida: 'CHEIRAS MAL'. É que só pode. Receber vários aftershaves, perfumes e desodorizantes, só pode querer dizer que acham que nós cheiramos mal.

Mas bem, este ano, para não haver dúvidas, ponho aqui uma cópia da minha carta ao Pai Natal:

Querido Pai Natal

Antes de mais, se não receberes esta carta, avisa, que eu mando-a outra vez. E como não sei se mande para a Lapónia ou para o Pólo Norte, deixei-a nos correios sem endereço, eles devem saber onde moras. Junto com esta carta, envio-te uma caixa, que vai vazia, porque já comi as bolachas todas, mas acho que ainda tem algumas migalhas, aproveita. Dentro da caixa vai uma caixinha de comprimidos para a gripe, que uma das tuas renas está sempre constipada... Aquela do nariz vermelho sabes? Vá trata bem dela. Ah, vamos agora às prendas. Queria que me desses um desses teus duendes que tens aí a ajudar. Aqueles pequeninos e verdes. Dava-me jeito um. Queria também que me emprestasses o teu trenó, só para eu me gabar com os meus amigos, 'ah e tal tenho o trenó do Pai Natal, e não sei quê'... Por último queria que me desses um emprego parecido com o teu. Sim, sim, eu sei como é que isso funciona... Entregas presentes um dia por ano, no resto do tempo tens os duendes a fazerem os presentes, e tu sentadinho a comer as bolachas e leitinho que as criancinhas te dão. Isso é que se chama um belo emprego, um dia de trabalho duro, trezentos e sessenta e quatro de férias. E os duendes é que se lixam. Nunca tiveste problemas com o sindicato? Se sim, não me mandes nenhum duende do sindicato, que devem ser como os outros sindicatos e falarem muito e fazerem pouco. Mas bem como vês é pouca coisa. Quer dizer vês se tiveres os óculos postos. Se não os tiveres postos não vês. Mas olha, azar, se não os tiveres postos, lê isto na mesma que eu não me importo.

Um grande abraço, que com essa barriga só um grande é que chega
Rui

3 comentários:

miguel disse...

lol e k e mm! mas 1 promenor k n referiste foi k os livros independetemente da idade k tens sao sempre ou narnia ou uma an«ventura. ainda no natal anterior recebi 2 livros do narnia! e as boxers podes ter o azar de serem dos morangos com açucar! xD

AC* disse...

olha que as raparigas nao ficam muito melhor servidas. O ano passado uma tia-avó minha deu-me umas quecas dos "tweenies" de licra para aí dois numeros abaixo... E quanto à carta ao pai natal, achoq ue ele está a apostar no correio electrónico. É que há quem diga que o pai natal é imortal, mais isso é totalmente mentira. O velhote já nao tem a genica de outrora. (podem comprovar com uns desenhos animados que dão na RTP2 sobre um miudo aprendiz de pai natal). É que abrir cartas TODO O ANO PORQUE OS DOENDES SÓ FAZEM OS PRESENTES não é fácil para um idoso que sofre de reumático, razao pela qual optou pela via e-mail.

Bia disse...

nao digam mal do meu querido pai natal. agora já nao vao receber as prendinhas porque se andaram a portar mal!